Projetos

Acompanhamento, monitoramento e análise de informação da saúde da população ribeirinha pós-desastre: O SIGDESASTRE (Sistema de Monitoramento
da Informação sobre desastre)

Considerado por pesquisadores como um dos maiores desastres no mundo com estas características, o rompimento da barragem de Fundão em Novembro de 2015, em Mariana, atingiu toda a bacia do Rio Doce. A necessidade de pesquisas e acompanhamento da situação dessa população atingida é urgente.Tanto que em 2019 outro desastre de grande proporção atingiu o município de Brumadinho/MG, causando a morte de mais de 200 pessoas e acarretando problemas socieconomicos e ambientais em toda bacia do Rio Paraopeba. Com relação à saúde, os efeitos desses desastres persistem por um longo tempo e o aumento na procura desses serviços, já é uma realidade.O projeto teve como objetivo a construção e implementação de um sistema de monitoramento da informação na internet que ofereça aos gestores do SUS subsídios para analisar as informações divulgadas no período pós-desastre, com relação à saúde da população atingida, principalmente a população ribeirinha, e possibilite a realização de ações continuadas a fim de reduzir a exposição da população e dos profissionais de saúde aos riscos e agravos decorrentes de desastres.

A metodologia utilizada abarcou a identificação dos atores envolvidos no processo, o levantamento das fontes (informações oficiais, notícias e midias sociais e a produção científica) pós-desastre a fim de monitorar e reunir as informações emitidas sobre o desastre, A criação da ferramenta e os dados levantados proporcionaram a concentração de informações em um único lugar e poderão auxiliar a implantação de novos procedimentos e aprimoramento no SUS, especialmente nas questões envolvendo a vigilância em saúde ambiental, trazendo benefícios para a saúde desta população tão vulnerável.

Comunicação de Riscos, Desastres e a Saúde Coletiva

A proposta do projeto é compreender as relações entre a Comunicação Social, Saúde Coletiva, riscos e desastres. Mais especificamente, objetiva-se compreender o papel da midiatização dos desastres no Estado do Espírito Santo (ES) e Portugal. Além disso, o projeto visa discutir as aproximações entre Portugal e Brasil na comunicação dos riscos e desastres. O projeto foi desenvolvido com a parceria do Instituto de Geografia e Ordenamento do Território da Universidade de Lisboa. 

 

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105